A Euronews é um órgão de comunicação social de orientação pan-europeia, procurando apresentar as notícias, factos, tendências e desenvolvimento sob um ponto de vista pan-europeu. Embora não seja detido ou tenha qualquer relação com a União Europeia ou nenhum dos seus órgãos, diversas televisões e órgãos de comunicação social públicos, de vários países europeus, integram a sua estrutura de acionistas. Por estes motivos, é geralmente considerada como “a televisão pública europeia”, embora na prática não o seja. Na verdade, a maioria do seu capital é detida por um acionista privado, o milionário egípcio Naguib Sawiris.

A “CNN Europeia”

A Euronews entrou em funcionamento no dia 1 de janeiro de 1993. Simbolicamente, foi no mesmo dia em que entraram em vigor as regras do Mercado Único, consagrando as quatro liberdades (circulação de pessoas, capitais, bens e serviços) e determinando, entre outras provisões, a diminuição significativa dos controlos fronteiriços entre os países membros. Durante a Guerra do Iraque, ficou bem clara a forma como a evolução da perceção dos acontecimentos era cada vez mais condicionada pela cobertura televisiva, ao que se chamou o “efeito CNN”. Num contexto de aliança e proximidade entre os Estados Unidos e a Europa, no imediato pós-Guerra Fria, a Euronews apresentava-se como uma “CNN europeia”. Refletia não apenas o ponto de vista dos europeus mas também uma perspetiva que se pretendia unificadora, entre as diversas perspetivas nacionais, tal como o próprio projeto da União.

Idiomas

O canal é atualmente transmitido em 15 línguas, incluindo diversas relativas a países não membros da União, como o russo, o turco, o árabe e o georgiano. A versão em português foi inaugurada em 1999. Em 2020 deverão ser ativadas as versões em albanês e sérvio, no contexto das ambições destes países de virem a aderir à União.

Rádio e internet

Além da presença online, a Euronews transmite também o seu conteúdo informativo através da sua própria rádio.